Analistas reduzem perspectiva de crescimento da produção industrial

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de novembro de 2005 as 11:00, por: cdb

A estagnação da economia interna na segunda metade do ano fez com que os analistas de mercado, consultados pelo Banco Central, reduzissem ainda mais a projeção de crescimento da produção industrial neste ano. Segundo eles, a estimativa de crescimento de 3,69% na pesquisa anterior caiu agora para 3,56%, e a projeção para 2006 foi mantida em 4,50%.

Com isso, a perspectiva de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) – soma das riquezas produzidas no país – no ano também caiu um pouco mais: de 3,09%, na semana passada, para 3%. A pesquisa manteve a projeção de 4,50% para o crescimento do PIB no ano que vem, e repetiu a estimativa de 51,60% para a relação dívida/PIB neste ano, com ligeiro aumento de 50,70% para 50,75% em 2006.

A pesquisa do BC, que resultou no boletim Focus divulgado hoje (28), manteve a projeção de US$ 16 bilhões para a entrada de investimento estrangeiro direto no setor produtivo, neste ano, e elevou a expectativa de saldo da balança comercial (exportações menos importações) de US$ 42,40 bilhões para US$ 42,76 bilhões (US$ 35,40 bilhões em 2006).

Isso reflete diretamente nas projeções para o saldo de conta corrente, que envolve todas as transações comerciais e financeiras com o exterior. A estimativa anterior apontava saldo de US$ 13 bilhões neste ano, e agora aumentou para US$ 13,45 bilhões. A expectativa de saldo para 2006 também evoluiu de US$ 6,30 bilhões para US$ 6,50 bilhões.

Essas projeções tomam como base um cenário no qual a taxa básica de juros (Selic), hoje de 18,50% ao ano, caia para 18% no mês de dezembro e ceda, gradualmente, para 15,50% no decorrer de 2006; e estima que o dólar norte-americano não ultrapasse R$ 2,25 neste ano, nem se valorize além de R$ 2,45 no ano que vem.