Analistas mantêm estimativa de inflação para 2005

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de dezembro de 2005 as 13:00, por: cdb

A expectativa dos analistas de mercado é que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste mês ficará em torno de 0,35%, de acordo com o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central. Com isso, a inflação acumulada no ano será de 5,68% como já previa a pesquisa da semana anterior; acima, portanto, do centro da meta de 5,1%.

A pesquisa que o BC faz todas as sextas-feiras junto a uma centena de analistas de mercado e instituições financeiras para reunir as tendências dos principais indicadores da economia é mais otimista com relação à inflação de 2006. Indica que o IPCA – índice que baliza as correções oficiais – será igual à meta de 4,50% definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

A expectativa dos economistas da iniciativa privada é de que os preços sofram reajustes menores no próximo ano, a começar pela inflação de janeiro, que deve fechar em torno de 0,40%, conforme o boletim Focus. Comportamento que terá reflexo forte nos preços administrados por contrato ou monitorados (combustíveis, energia elétrica, telefonia, medicamentos, educação, água e outros).

Esse segmento de preços teve fortes variações em 2005, com reajuste acumulado de 8,80% (acima dos 8,68% previstos na pesquisa anterior), e isso tem peso de quase um terço na composição final do IPCA. Mas, de acordo com prognóstico médio da pesquisa do BC, os preços administrados terão correção de apenas 4,50% no ano que vem.

Outro indicador de varejo pesquisado pelo BC é o Índice de Preços ao Consumidor, medido pela Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (IPC-Fipe) da Universidade de São Paulo (USP). A pesquisa se restringe à capital paulista, onde a inflação de 2005 ficará em 4,54% — bem abaixo dos 5,68% da inflação nacional – e a projeção para 2006 também crava inflação de 4,50%, coincidindo com a meta oficial.

A penúltima pesquisa semanal do ano, feita pelo BC, apura comportamento mais regular dos preços no atacado do que no varejo. O boletim Focus mostra que o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) vai fechar este ano com reajustes acumulados de apenas 1,18% – contra previsão de 1,36% na semana passada -, e o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) ficará em 1,26% – ante estimativa de 1,41% na pesquisa anterio