Analista de sistemas de Campinas é seqüestrado em São Paulo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 10 de outubro de 2003 as 04:13, por: cdb

Um analista de sistemas que veio de Campinas é seqüestrado na capital paulista. Ele foi levado para um cativeiro em São Paulo e só no final da noite, se aproveitando da distração dos seqüestrados, conseguiu escapar do cativeiro.

O analista de sistemas Maurício Adriano Rodrigues Nunes, de 29 anos, vinha de Campinas, no interior paulista para a cidade de São Paulo, quando por volta das 11h30m da última quinta-feira o carro Corsa Azul que dirigia quebrou na rodovia Anhanguera, perto da Marginal Pinheiros, já na capital paulista.

Maurício então trancou o veículo e foi tomar um lanche na Rua Manoel Domingos Pinto, nas proximidades. Quando retornou para o carro, que estava parado perto de um posto de combustíveis, Maurício foi rendido por dois homens armados que estavam em um carro Santana de cor Azul.
 
Inicialmente, a dupla queria o Corsa do analista de sistemas. Como o carro estava quebrado, os dois homens decidiram seqüestrar Maurício, que foi colocado no Santana.

A dupla rodou pela cidade de São Paulo com o analista de sistemas até às 15h. Neste período, Maurício teve de ligar para o pai, em Campinas, falando que os seqüestradores exigiam uma grande quantia em dinheiro para libertá-lo.
 
O analista de sistemas então foi levado para um cativeiro, no bairro da Aclimação, na capital paulista, perto da rua Pires da Mota. A vítima não soube identificar o lugar exato do cativeiro. Na casa, onde também estava uma mulher grisalha, aparentando 50 anos de idade, Maurício teve de realizar outras ligações para a família.
 
Em um determinado momento, ele foi agredido com um soco no rosto por um dos seqüestradores que não queria que Maurício olhasse para a dupla.

Por volta das 22h, Maurício, que estava sozinho dentro da casa, conseguiu quebrar uma janela que estava direcionada para a rua e fugiu. Ele correu por dez minutos até parar em um orelhão e chamar a Polícia Militar.
 
Um grupo de policiais da Rondas Ostensivas Thobias de Aguiar (Rota) localizou Maurício na Rua dos Perdões, na região da Aclimação. Os policias com a vítima percorreram o bairro, mas Maurício não conseguiu dizer para qual casa foi levado. Os seqüestradores não foram localizados.

Apesar de ter sido agredido, o analista de sistemas passa bem. O caso foi registrado no 5º Distrito Policial da Aclimação, na capital paulista.