Amorim diz que países ricos estão mais flexíveis quanto às patentes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 22 de junho de 2003 as 20:46, por: cdb

Os representantes dos países mais desenvolvidos do mundo mostraram-se mais flexíveis em acatar a demanda de abrir mão de patentes de medicamentos para as doenças assolam muitos países pobres.

Essa constatação foi feita neste domingo pelo ministro das Relações Exteriores, embaixador Celso Amorim, que participou do segundo dia de reuniões do Fórum Econômico Mundial, evento que está sendo realizado às margens do Mar Morto, na Jordânia.

Na ocasião, o chanceler foi recebido pelo Rei Abdallah II, a quem entregou uma carta do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com assessoria de comunicação do Itamaraty, o rei transmitiu a Celso Amorim o convite para que Lula visite a Jordânia, expressando que a ida do presidente brasileiro a seu país seria motivo de muito orgulho.

O embaixador comunicou a Abdallah II o interesse do governo brasileiro de promover em 2004 uma reunião de líderes dos paises da América do Sul e do Oriente Médio, a fim de discutir a intensificação de cooperação, assim como a troca de idéias sobre temas internacionais que afetam essas duas partes do mundo.

Celso Amorim participou também da mesa redonda “Construindo a Paz: Diálogo com Pacifistas e Líderes Políticos”.

Durante essa atividade, o chanceler russo, Igor Ivanov, disse ao embaixador brasileiro que o presidente de seu país, Vladmir Putin, deseja contar com a participação do presidente Lula nas discussões que Rússia, Estados Unidos, União Européia e ONU irão realizar, em setembro próximo, durante a Conferência das Nações Unidas sobre as negociações de paz no Oriente Médio.