Amorim diz que distância comercial entre EUA e Brasil não é tão grande

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de maio de 2003 as 16:16, por: cdb

A distância entre as posições comerciais do Brasil e dos Estados Unidos não é tão grande como pode parecer à primeira vista, é muito mais uma questão de ênfase.

A afirmação foi feita pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, ao abrir a entrevista do encarregado de negócios do governo norte-americano, Robert Zoellick, no Itamaraty.

O chanceler disse que deixou claro para Zoellick o empenho do governo brasileiro em estabelecer negociações bilaterais entre o Mercosul e os Estados Unidos, o chamado 4+1. Amorim também não exclui a possibilidade de negociações no âmbito da Área de Livre Comércio das Américas (Alca).

O chanceler explicou que o 4+1 visa a focalizar alguns aspectos como acesso a mercados que interessam mais especialmente ao Brasil.

– Da mesma maneira que os Estados Unidos têm temas muito sensíveis para eles, sobretudo de natureza sistêmica, que só podem ser resolvidos na Organização Mundial de Comércio (OMC), o Brasil tem temas muito sensíveis e nossos colegas do Mercosul também – explicou o chanceler.