Amorim diz não temer questão do urânio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de abril de 2004 as 16:40, por: cdb

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, chanceler Celso Amorim, disse que não vê necessidade de assinatura de um acordo adicional para inspeção da planta de enriquecimento de urânio de Resende, no Sul do Rio. 

Embora não descarte a assinatura do acordo, Amorim disse que o governo brasileiro pode dar garantias plenas à comunidade internacional de que a pesquisa nuclear do país tem fins pacíficos sem a necessidade de tratado adicional e não visa produção de armas nucleares. 

– Essa questão de ser possível ou impossível (assinar o acordo) vai além da minha capacidade de prever. Essa é uma questão a ser analisada à luz dos interesses brasileiros, levando em conta dois princípios: primeiro, dar garantias plenas à comunidade internacional de que nossa pesquisa e atividade nuclear são exclusivamente para fins pacíficos. E acho que há uma possibilidade de fazer isso sem assinatura de protocolo adicional. O segundo aspecto é preservar nossa capacidade de desenvolver uma tecnologia que é importante para se ter energia barata e para que possamos ter independência nesse setor – afirmou.