Amorim culpa EUA e Canadá por fracasso da Alca

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de abril de 2004 as 09:27, por: cdb

O Brasil culpou os Estados Unidos e o Canadá pela virtual paralisação das negociações para criação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca). O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, pediu também, em uma audiência na Câmara dos Deputados, que os Estados Unidos tenham uma postura pragmática nas negociações e manteve a posição de que o Mercosul não é o responsável pelo estancamento das negociações.

– A proposta de acesso a mercados feita pelo Mercosul foi a proposta mais audaciosa e não foi aceita por vários países. Estados Unidos e Canadá entre outros -, disse Amorim.

Negociadores dos 34 países envolvidos na criação da Alca – todos os países das Américas menos Cuba – decidiram na semana passada em Buenos Aires, suspender a reunião programada para o final de abril em Puebla, no México devido ao lento progresso nas negociações de temas como os setores agrícolas, de serviços e questões de acesso geral a mercados.

– Não se pode tratar os 34 países da mesma forma. São países muito diferentes. Não se pode pedir um modelo único (para a Alca). Há um grupo de países que desejam ter políticas industriais, como é o nosso caso…e há países que não têm condições para isso – disse Amorim.

Para evitar o fracasso das negociações, o ministro pediu mais pragmatismo aos EUA:

– Pode parecer surpreendente que esse pedido parta de um latino para um norte-americano, mas queremos pragmatismo na negociação. Pragmatismo significa um acordo ‘quatro mais um’ (Mercosul e Estados Unidos) em acesso a mercados. Não teremos problemas de estender aos outros membros (da Alca) tudo o que conseguirmos com os Estados Unidos e com o Canadá. Com isso se preservaria a identidade da Alca. Esse seria um caminho que poderíamos seguir.