Americanos rejeitam contrato com a Embraer

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012 as 13:27, por: cdb

Causa estranhamento o cancelamento do pedido de compra de 20 Super Tucanos pela forca aérea norte-americana com a posição que o assunto deva ser tratado em nível de governo. Também intriga a posição dos militares dos Estados Unidos quando sugerem que o Itamaraty deva pedir esclarecimentos a esse respeito diretamente ao departamento de Defesa e de Estado dos Estados Unidos. A decisão é inédita e insólita.

Em resumo, os EUA cancelaram um contrato que havia sido concedido pela Força Aérea dos EUA para a Embraer e a sua parceira Sierra Nevada Corp. O valor do negócio chega a USS$ 355 milhões. Por que motivo? “Problemas com a documentação”, foi a resposta.

Não é o que Embraer e SNC alegam. “Junto com sua parceira nos Estados Unidos, Sierra Nevada Corporation (SNC), a Embraer participou do referido processo de seleção disponibilizando, sem exceção e no prazo próprio, toda a documentação requerida”, informou a empresa.

Enquanto isso…

Enquanto isso, na semana que vem, a Boieng enviará ao Brasil o presidente da Boeing Military Aircraft, Cristopher Chadwick, que comanda o braço da empresa para o setor de Defesa. Ele tentará vender à Força Aérea Brasileira (FAB) o seu caça FX-18 Super Hornet, informa o jornal Valor Econômico. Segundo o periódico, a Boeing estaria disposta a melhorar a oferta de transferência de tecnologia, incluindo propostas de desenvolvimento conjunto de produtos aeronáuticos, caso seja escolhida como a fornecedora dos novos caças à FAB.