América entrevista Fetter para subsidiar Plano de Desenvolvimento

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 23 de março de 2012 as 12:46, por: cdb

         Conduzidos pelo secretário-executivo da Unidade Gerenciadora de Projetos (UGP), Jair Seidel, a equipe técnica da América Estudos e Projetos Internacionais iniciou com o prefeito Adolfo Antonio Fetter, nesta sexta-feira (23), a série de entrevistas para subsidiar a elaboração do Plano Estratégico de Desenvolvimento Local. Acompanhado pelo sociólogo Eduardo Audibert e pelo engenheiro agrônomo Floriano Isolan, os economistas Paulo Machado e Joal de Azambuja Rosa saíram do encontro – que ocupou boa parte da manhã de hoje – com diversas prioridades elencadas pelo prefeito.
         “Resumindo e fundamentando-me no mapa estratégico de nosso governo, alguns setores têm grandes possibilidades de desenvolvimento: cultura e turismo; tecnologia, com ênfase em desenvolvimento de software, e pesquisa, por meio do Tecnosul; saúde; subsegmentos do polo naval; e agroindústria”, listou o chefe do Poder Executivo. Fetter mencionou tratativas adicionais, ao longo de sua gestão, com corporações das áreas de metal-mecânica e tratamento químico em aço, além de estaleiros, fabricantes de componentes eletrônicos e especializadas em Tecnologia da Informação (TI).
         Na concepção do prefeito – primeiro entrevistado do grupo definido como estratégico do ponto de vista técnico e de administração pública –, qualificar a indústria de alimentos constitui-se numa das ações que também deve ter primazia no planejamento em fase embrionária de formulação. “A ordem da vez é agregar valor aos produtos, que já possuem reconhecimento nacional e estrangeiro acerca da qualidade, com o uso de novas tecnologias e por meio da modernização do chão de fábrica tradicional”, assinalou Fetter.
       Questionado pelo economista Machado sobre a percepção em torno dos aspectos de governança estratégica do processo, o prefeito lançou mão de pesquisa recente do Instituto de Pesquisas de Opinião (IPO) de Pelotas. Segundo o gestor-chefe da Prefeitura, partindo da premissa de que, em dez anos, o índice de satisfação dobrou – saltando do patamar de 40 para 80% em 2009 –, “pode-se afirmar categoricamente que o ânimo mudou e que as pessoas voltaram a acreditar em Pelotas”. No entender de Fetter, essa nova disposição dos pelotenses consiste na base “porque se a cidade não tiver crédito, não existirá interesse nela e, portanto, investimentos”.
         Em concordância, o consultor parabenizou-o pelo conhecimento da noção denominada como “nível de governança”, cujos alicerces são confiança e entendimento concomitantes. “Precisamos de força motriz social para que um plano de desenvolvimento não seja um mero produto de prateleira. A partir do propósito de construir um mosaico composto por todas as capacitações, existentes e potenciais, e fora dos riscos da inércia e da baixa motivação, conseguiremos evoluir nestas pautas pertinentemente pontuadas pelo prefeito”, acrescentou Machado.
         Toda essa análise, realizada em grupo na audiência de hoje, foi precedida por um histórico do conjunto de ações da administração municipal nos últimos sete anos. De acordo com Fetter, antes ainda de assumir o posto de prefeito, construiu uma “visão” que, embora não tivesse a pretensão inicial de se tornar um plano, cristalizou-se como fio indutor do crescimento e do desenvolvimento econômicos. Exemplo prático de fomento, mencionado aos executivos da América, é a Lei 5.100 de 2005, responsável pela instituição do Programa Desenvolver Pelotas por meio do qual empresas locais e de fora recebem incentivos destinados à geração de emprego e renda no Município.
         Por outro lado, avalia o prefeito, fora esta perspectiva de estímulo à instalação de companhias de diversos nichos da economia, sob sua coordenação também esteve o projeto que resultou no que ele definiu como “bem-sucedido” Pelotas Polo do Sul, aprovado e financiado pelo Banco Mundial a partir de 2007. Numa suposta resposta ao que Fetter chamou como “críticos de plantão”, acerca das providências de uma planificação de desenvolvimento no final do mandato, afirmou: “Além de 2008 ter sido ano eleitoral e o primeiro de execução do Polo do Sul, período de maturação do nosso planejamento inicial, precisávamos revisar nosso entendimento por mais tempo e tal iniciativa só fazia sentido mais adiante”, explica, antevendo um hipotético questionamento das projeções para além do governo atual.
         Durante a retrospectiva, apresentada aos especialistas da América, o chefe do Executivo pelotense enumerou, ainda, realizações que romperam com décadas de ausência de investimentos: 30 projetos específicos estruturados em três diretrizes do Polo do Sul, estações de tratamento de água e esgoto, pavimentação, novo sistema de processamento de lixo, aterro sanitário, construção de 47 pontes de concreto, compra de maquinário (caminhões, patrolas e retroescavadeiras) para zona rural, qualificação dos serviços públicos e projeção do Centro Administrativo. “Somente para citar algumas das iniciativas. Sem falar na reforma administrativa, concluída no ano passado, a conclusão dos planos de carreira do municipalismo, estacionamento rotativo, melhoria e modernização do transporte coletivo e instauração do Shopping Popular”, enfatizou.
         O prefeito encerrou sua exposição salientando a colocação em dia das contas da Prefeitura. “Retiramos o Município da inadimplência, recuperamos a credibilidade para aportar recursos, pagamos as contas e idealizamos melhorias da cidade. São feitos imperceptíveis ou invisíveis à população, no entanto imprescindíveis à viabilização do que salta aos olhos, ou seja, obras e serviços”, disse. Para Fetter, concluída esta e finalizadas outras etapas, faz-se imprescindível projetar o futuro, por pelo menos as duas próximas gestões, identificando alternativas capazes de melhorar, ainda mais, diretamente a qualidade de vida dos moradores.

Data: 23/03/2012
Hora: 15:39
Redator: Carolina Ney – 23024/SP
Fotógrafo: Vanderlei Porto –