Alpes franceses abrem a temporada de inverno com boa expectativa no Brasil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 22 de outubro de 2001 as 17:15, por: cdb

Brasileiros amantes da neve têm bons motivos para pensar em partir com seus apetrechos para esquiar na França. A temporada começa no fim de novembro e estende-se até maio, mas desde já pode-se planejar a viagem. O lançamento oficial no Brasil ocorreu esta semana e há muitas novidades nas pistas. De acordo com o diretor para a América Latina da Maison de la France (Departamento Oficial de Turismo Francês), Vincent Toulotte, com a queda da procura de americanos pelas estações de esqui da França, em vista dos últimos acontecimentos, os brasileiros poderão beneficiar-se no sentido de terem mais vagas disponíveis por lá. Isso porque “os americanos reservam com mais antecedência”, segundo Toulotte. Desse modo, a aposta é de que o Brasil esteja agora mais presente nos Alpes Franceses, a segunda região mais visitada desse país.

Se você alguma vez ouviu falar da art de vivre (arte de viver) do povo francês, saiba que esse é o seu maior apelo para atrair turistas estrangeiros, mesmo que estes representem apenas 20% do público das estações. A gastronomia refinada, conciliada às belíssimas paisagens da região do Rhône-Alpes – onde está o Mont-Blanc, montanha mais alta da Europa Ocidental -, é um atrativo indiscutível.

Mas há muito mais a desfrutar, pois as estações de esqui mais conhecidas por nós – Chamonix, Courchevel, Megève, Méribel, Val D´Isère e Val Thorens – anunciam melhorias para o esquiador. Chamonix fica aos pés do Mont-Blanc e sediou os primeiros Jogos Olímpicos de Inverno, em 1924. Para esta temporada, a capital mundial do alpinismo no verão – que é, ainda, historicamente conhecida pelo esqui alpino – terá o Téléski de la Floria, em La Flégère, complementando seus modernos equipamentos. E a hotelaria é por tradição excelente.

Em Courchevel, a construção do 12.º hotel quatro-estrelas, o Kilimandjaro, é a boa nova. Feito em pedra e madeira, possui 30 quartos, cada qual com no mínimo 30 m2, e 11 chalés de 70 m2. O acesso direto às pistas – todo hóspede tem seu quarto ou chalé ligado ao elevador – garante a sensação de estar em casa.

Já Megève, chamada de capital do après-ski (atividades para depois do esqui), oferece o passe “Mãos Livres”, que dá mais liberdade aos praticantes. Para os mais românticos, carruagens passeiam pelo centro dessa cidade de charme medieval.

Méribel, por sua vez, com arquitetura típica da região da Savóia, tem 150 quilômetros de pistas esquiáveis. Nesta temporada, terá a segurança anti-avalanche reforçada e duas de suas pistas remodeladas. Outro vilarejo da Savóia, Val D´Isère localiza-se perto da fronteira com a Itália e sua noite, com bares e restaurantes, é uma das mais agitadas dos Alpes. A igreja, datada do século 11, vale a visita. O centro de inverno concorre a sede do Campeonato Mundial de Esqui Alpino de 2007.

A mais alta da Europa

Estação mais alta da Europa, Val Thorens fica no 3 Vallées, maior domínio esquiável do mundo (600 quilômetros de pistas e 200 teleféricos). Reserva muitas inovações, como uma pista de tobogã de 6 quilômetros de comprimento, aumento do domínio esquiável em 20% e duas novas telecabines. Possui também um centro esportivo de 9 mil m2, à disposição do viajante.

O que você vai encontrar em qualquer das estações que escolher é, sobretudo, um cenário de charme que dispõe de muitas atividades na neve e fora dela – patinação, hóquei, parapente, boliche, academia de ginástica, piscina aquecida, além de passeios culturais. É só optar. E mais: elegantes boutiques, infra-estrutura para a família toda (com jardins de infância para as crianças), hotéis impecáveis, chalés aconchegantes e a comida, conhecida pela excelência… Enfim, é isso a art de vivre à la française.