Alma Feminina: Nequitz abre mostra com foco no universo da mulher

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 09:20, por: cdb

JUIZ DE FORA – 28/2/2012 – 12:14

Alma Feminina: Nequitz abre mostra com foco no universo da mulher

“Alma Feminina” é a nova mostra da artista plástica Nequitz Miguel, que será aberta na próxima quinta-feira, 1º de março, às 20h, na Galeria Celina Bracher, do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM – Avenida Getúlio Vargas, 200 – Centro). A exposição, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, tem curadoria de Ricardo Cavalcanti e permanece em cartaz até o dia 25 de março.

A mostra reúne 20 peças em tamanhos variados, executadas em 2011, em acrílica sobre tela e técnica mista. Conforme destaca a escritora Creusa Cavalcanti, a nova série da artista “nos descerra, ora o panorama de jardins, onde desponta o ‘idílio’, ora mãos que ostentam ramalhetes, ora a fisionomia oceânica, onde a mulher aguarda com zelo a volta do amado que, no pescado, lhe traz o sustento, ora fixando semblantes de seus amistosos elos.”

Ao lado de cada tela, será apresentado um texto de poetas e escritoras juiz-foranas, como Leila Barbosa, Creusa Cavalcanti e Therezinha de Jesus Lopes. “Serão como madrinhas das telas”, explica Ricardo Cavalcanti, acrescentando que as peças expostas estarão à venda.

Nequitz, nome artístico de Neuza de Carvalho Miguel, nasceu em Juiz de Fora, mas, desde 1968, reside no Rio de Janeiro. Na capital fluminense, estudou história da arte e pintura, com vários artistas de renome internacional, como Luiz Badia, Bernardii e Belizio. “Suas criações são ricas em detalhes, extremamente realistas, através de uma estética apurada, fruto de uma minudente pesquisa que retrata, em requintada técnica, a arquitetura urbanística”, define o curador.

Ricardo Cavalcanti destaca, ainda, que “o tema que permeia a obra de Nequitz é o tempo. É o elemento que sobressai na história: é a ampulheta de seu íntimo. A cronologia não passa a ser uma forma obsessiva do seu trabalho, mas é o fator de sedução, de encantamento – cuja união dá uma continuidade visual de tempo. O desafio da artista é registrar o espectador, como se fosse um cúmplice, não somente de sua arte, mas dela própria.”

A visitação à mostra “Alma Feminina” é gratuita e acontece de terça a sexta-feira, das 9h às 21h, e aos sábados e domingos, das 10h às 16h.

* Informações com a Assessoria de Comunicação da Funalfa, pelos telefones 3690-7044 / 7045.
FUNALFA