Alerj vota benefícios a famílias de vítimas de chacina e de Chan Kin Chang

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 21 de outubro de 2003 as 13:20, por: cdb

A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) vota nesta tarde o projeto de lei do deputado Alessandro Molon (PT) que estende os benefícios da Lei 3.421 aos dependentes dos mortos da chacina do Borel e do chinês Chan Kin Chang.

A lei prevê a indenização vitalícia para os sobreviventes das chacinas da Candelária e de Vigário Geral no valor de 3 salários mínimos. A medida, segundo o deputado, não impede o direito dos familiares de obterem na Justiça outro tipo de indenização.

A chacina no morro do Borel, localizado na Tijuca, zona norte, aconteceu em abril deste ano, quando 3 rapazes foram assassinados durante uma operação policial. Foi constatado que dois deles eram trabalhadores e sustentavam família e o outro estudava na Suíça e estava visitando a avó.

Já o chinês Chan Kin Chang, naturalizado brasileiro, morreu após sofrer traumatismo craniano provocado por espancamento em presídio do estado, no último mês de setembro.