Alencar diz que governo busca solução para passageiros da Vasp

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de janeiro de 2005 as 17:11, por: cdb

Após a decisão do Departamento de Aviação Civil (DAC) de impedir a Vasp de realizar vôos regulares e apenas poder fazer viagens fretadas mediante autorização desse órgão, o vice-presidente da República e ministro da Defesa, José Alencar, disse hoje que embora a Vasp seja uma companhia respeitada, ela entrou em uma situação que colocava em prejuízo os seus próprios passageiros.

– Uma companhia com permissão de vôos regulares não pode esperar o vôo ter uma ocupação econômica para sair – afirmou Alencar, para quem, – a rigor, ela deveria sair até com um passageiro.

O vice-presidente disse que a Vasp pode, se quiser, “operar os vôos chamados charter (fretados)”. No entanto, explicou, “mesmo assim ela tem que entrar com um pedido no DAC a fim de obter a permissão para esse tipo de vôo”. Sem descartar que a Vasp “pode voltar a ser uma companhia modelar”, José Alencar assinalou que o governo está fazendo um levantamento, por meio de uma auditoria interna na companhia, para saber a extensão do prejuízo a que os passageiros estão sujeitos.

– Nós estamos preocupadíssimos em resolver os problemas dos passageiros da companhia o mais rápido possível – ressaltou.

Indagado se a Vasp poderia seguir os passos da Varig e tentar a transformação das dívidas em uma possível participação acionária, José Alencar disse acreditar que sim.

– Só que nós não estamos forçando ninguém a fazer essa transformação de crédito em capital – isso será uma decisão espontânea de cada um dos credores – argumentou. E lembrou que a Vasp pode fazer a mesma coisa, contratando um banco que trabalhe como conselheiro na preparação de um projeto de viabilidade.

– O caminho pode até ser o mesmo, mas é preciso haver alguém que esteja de acordo em fazer isso – acrescentou.