Alemanha coloca grupos islâmicos na ilegalidade

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de dezembro de 2001 as 18:37, por: cdb

O governo da Alemanha colocou nesta quarta-feira mais de 20 grupos islâmicos na ilegalidade. A polícia alemã realizou também uma operação de busca e apreensão em cerca de 200 endereços de grupos muçulmanos em todo o país.

A medida foi tomada principalmente contra a organização Califat, com sede em Colônia, e que tem como objetivo derrubar o governo da Turquia. A Alemanha abriga hoje cerca de 2,5 milhões de turcos.

A Califat é liderada pelo teólogo islâmico turco Metin Kaplan, acusado de tentar cooperar com o dissidente saudita, Osama Bin Laden, mas sem sucesso. Kaplan está cumprindo sentença de quatro anos de prisão por incitar ao assassinato de um clérigo rival.

A operação ordenada pelo Ministério do Interior incluiu ainda organizações subsidiárias da Califat, entre elas a Servos do Islã. Centenas de policiais vasculharam escritórios e mesquistas em seis estados alemães, incluindo a Renânia do Norte Vestfália, a Baviera e Brandenburgo, onde fica a capital do país, Berlim.

Cerca de 30 pessoas da organização Califat, em Colônia, tiveram seus documentos de identidade checados, mas não chegaram a ser presas. Já o grupo Comunidade Islâmica, em Wiesbaden, no sul da Alemanha, teve dois de seus integrantes detidos e documentos religiosos da organização apreendidos. A informação foi dada por um membro do grupo à edição eletrônica da revista alemã, Der Spiegel.

As batidas foram autorizadas pelo governo da Alemanha com base em novas legislações e medidas de combate ao terrorismo, que suspenderam ressalvas constitucionais a organizações religiosas no país.