Agricultores protestam contra ocupação do MST

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de março de 2007 as 11:14, por: cdb

Cerca de 200 famílias de agricultores sem-terra ligadas à Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco (Fetape), filiada à Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), bloqueiam a BR-101 Sul nesta terça-feira, entre os municípios de Ribeirão e Palmares.

A ação é em protesto à ocupação do Engenho Altinho, no município de Gameleira, por famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), depois que a Fetape conseguiu a desapropriação da área pelo governo federal. Eles exigem a presença do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

De acordo com a Fetape, os trabalhadores, que nunca invadiram a área solicitada ao Incra, aguardam o assentamento de 83 famílias já cadastradas no Incra. A propriedade invadida foi objeto de desapropriação pelo governo federal em 19 de abril de 2005. Em dezembro do mesmo ano foi assinada a imissão de posse. Mas os agricultores nunca foram assentados porque o MST invadiu a área logo após a desapropriação.

– Nunca quisemos confronto com o MST, mas estamos há quase dois anos à espera do Incra, que não cumpre o que delibera – justifica o diretor de política agrária e meio ambiente da Fetape, Paulo Roberto Rodrigues Santos.

Ele disse que a solução para o impasse se tornou urgente porque as famílias que aguardam o assentamento se encontram em uma área dentro de projeto de duplicação da BR-101 e precisam deixar o local. – O Incra veio aqui há cerca de 20 dias, conversou com a Fetape, falou com o MST para que eles se retirassem do Engenho Altinho, mas a situação se mantém. O assentamento não saiu do papel – reclamou.