Agentes penitenciários mantém paralisação em dois presídios em SP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 29 de janeiro de 2007 as 17:10, por: cdb

Agentes penitenciários de dois presídios de São Paulo mantém nesta segunda-feira paralisação para protestar contra o assassinato de Wellington Rodrigo Segura, 31, diretor-geral do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mauá, no ABC paulista, na noite de sexta-feira. No total, funcionários de cinco unidades pararam desde sábado.

Segundo o Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo (Sifuspesp), a paralisação começou no CDP de Mauá, no sábado. Em seguida, agentes da Penitenciária I de Presidente Venceslau, a 620 km de São Paulo, aderiram ao movimento.

No domingo, nas Penitenciária II de Presidente Venceslau e no CDP e na Penitenciária de Ribeirão Preto, a 314 km de São Paulo, também houve protesto. Nesta segunda, apenas o CDP de Mauá e a Penitenciária II de Presidente Venceslau continuam com a paralisação.

Durante o protesto são suspensos os banhos de sol, as visitas de familiares, o atendimento de advogados e a entrega de cartas aos presos. Somente serviços básicos, como alimentação e atendimento médico, continuam normalmente. De acordo com o Sifuspesp, apesar da paralisação, todos os funcionários foram trabalhar.