Agentes de Bangu 3 devem prestar depoimento à polícia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de outubro de 2002 as 09:38, por: cdb

Os agentes penitenciários que trabalhavam na véspera e no dia da rebelião no presídio Bangu 3, na zona oeste do Rio, devem prestar depoimento hoje à polícia.

Eles deveriam ter sido ouvidos na última sexta-feira, mas, segundo informações da Draco (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas), o diretor da unidade pediu o adiamento por causa de um problema de escala de trabalho.

A polícia quer informações sobre a tentativa de resgate ocorrida no local na última quarta-feira e a entrada de armas no presídio. O objetivo da ação dos criminosos era libertar integrantes da facção CV (Comando Vermelho), segundo a polícia.

Os presos, que fizeram uma rebelião depois da tentativa de fuga frustrada, entregaram à polícia três fuzis, cinco pistolas, três granadas, 5 kg de explosivos e munição.

Após a tentativa de resgate, grupos criminosos espalharam o terror no Rio durante a madrugada. Tiros foram disparados contra o Palácio Guanabara, sede do governo, e contra a 6ª DP, no centro, que fica ao lado do Batalhão de Choque. No quartel estão presos os principais líderes do CV, como Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar.

Uma granada foi arremessada na frente do Shopping Rio Sul. Ninguém ficou ferido.

Policiais trocaram tiros com traficantes em dois pontos do Rio. Um policial civil morreu, outro ficou ferido. Um outro PM também foi atingido por tiros.