Africanos: comandante chinês pode pegar até 30 anos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de novembro de 2003 as 16:18, por: cdb

A Polícia Federal decidiu, na tarde desta sexta-feira, indiciar o comandante do navio chinês, Xu Chang Quan, 41 anos, por tentativa de homicídio e introdução clandestina de estrangeiros no País. Chang é acusado de ter espancado e atirado ao mar seis africanos na costa pernambucana. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Daniel Granjeiro, o comandante negou todas as acusações.
 
O depoimento durou pouco mais de três horas; depois disso, Chang foi liberado. – A decisão de pedir ou não a prisão preventiva dele será tomada até domingo, pois pretendo ouvir, hoje à tarde e durante todo o fim de semana, toda a tripulação do navio, além dos africanos e de pessoas envolvidas no caso – explicou Granjeiros, completando que o navio permanece retido no porto, sem poder ser carregado com as 22 toneladas de açúcar que embarcaria com destino aos Estados Unidos.
 
De acordo com o engenheiro chefe do navio, Niu Meng, antes de sair da África, no dia 06 de novembro, foi realizada uma vistoria rigorosa e não foi encontrado nenhum vestígio dos africanos. – Eles estão mentindo”, afirmou, sem descartar a possibilidade deles terem embarcado. “O navio é muito grande”, confessou. O engenheiro foi enfático ao negar que houve agressão. “Não vimos os africanos, como poderíamos ter batido neles?”, questionou.
 
Por tentativa de homicídio, Chang pode pegar de 12 a 30 anos de prisão; já por introdução clandestina de estrangeiros, a pena vai de 1 a 3 anos. O navio ancorou no Porto do Recife na última quarta-feira, 12 de novembro.