Aécio, candidato, prega alternância do café para o leite

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de março de 2006 as 22:16, por: cdb

Governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB) anunciou, nesta terça-feira, que será candidato a um novo mandato no governo de Minas Gerais e, caso seja reeleito, pretende iniciar um projeto nacional para a existência de um maior “equilíbrio na federação”. Referiu-se à presença do Estado de São Paulo na condução dos destinos econômico e político do país. O neto de Tancredo Neves costurou, em Minas, uma série de alianças partidárias que lhe permitirá o acesso aos principais palanques em 747 dos 853 municípios mineiros, sendo 19 administrados pelo PT. Embora Aécio integre a alta direção do tucanato nacional, sempre manteve relações cordiais com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, por mais de uma vez, ajudou a esfriar os ânimos em momentos de crise entre governo e oposição.

Após a reeleição, Aécio quer “percorrer o país”, em uma espécie de cruzada pelo que classificou de “fortalecimento e equilíbrio da federação”

Para Aécio Neves, é preciso uma alternância maior dos demais Estados brasileiros no poder central, há décadas ocupado por paulistas.

– Em 2010, vamos completar 16 anos com presidentes paulistas no poder. Isso nunca aconteceu na história da República, chegou no limite e não é bom para o país – disse ele, após constatar que as pesquisas de intenção de voto dos principais institutos verificadores da opinião pública apontam como provável presidente um paulista: Luiz Inácio Lula da Silva (PT-SP) ou o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP).

O fato de denfender a presença de outras regiões do país no governo central, para o mineiro não significa que já esteja na disputa. Mas ele acredita que o ciclo do café chegou ao fim e o do leite seria uma alternativa para 2010.

– Esse movimento pelo equilíbrio da federação vai ficar muito forte, vai desaguar no Estado que estiver mais unido. Temos agora a unidade histórica de Minas, que vai tentar exercer um papel de liderança. Não sei onde isso vai desaguar, vamos ver quem estará mais forte – disse, com forte convicção de que será Minas Gerais.

O ex-presidente Itamar Franco, um dos principais aliados de Tancredo, não esconde sua intenção de ver um mineiro novamente em Brasília. Itamar, que estuda uma possível candidatura ao Senado, pela legenda do PMDB, tem ajudado Aécio a alinhavar as alianças com os principais partidos nacionais. Provável adversário de Aécio nas urnas, em outubro, o ex-ministro Nilmário Miranda, presidente regional do PT, também tem buscado atrair os peemedebistas que, devido à forte presença regional no interior mineiro, tende a pesar na balança pela disputa ao Palácio das Mangabeiras.