Advogada do PCC teria sido executada com 11 tiros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de outubro de 2002 as 01:07, por: cdb

Segundo informações extra-oficiais, o corpo da advogada Ana Maria Olivato foi encontrado esta manhã com onze tiros dentro de um carro em uma rua do Conjunto Habitacional Inocop, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Ana Maria foi mulher de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, um dos líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Ela teria sido baleada, por volta das 11 horas, quando saía de casa.

A Secretaria de Segurança Pública, no entanto, não divulgou oficialmente informação sobre o local exato onde o corpo foi encontrado. A advogada teria convencido criminosos a contarem à polícia sobre o carro-bomba abandonado na última segunda-feira na Rodovia Anhangüera, em Campinas, no interior do Estado.

Ontem, Ana Maria acompanhou como advogada o depoimento de Petronília Maria de Carvalho Felício, mulher do líder do PCC José Márcio Felício, o Geleião, e que foi presa acusada de estar envolvida no caso do carro-bomba. Gravações telefônicas feitas pela polícia mostram que o PCC estava rachado. Enquanto o chefe da organização, o Geleião, ordenava uma onda de atentados, outros dois líderes, Marcola e Cesinha, defendiam a manutenção da paz nas prisões e nas ruas.