Administração Penitenciária controla todo o complexo de Bangu

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 11 de junho de 2003 as 16:16, por: cdb

A partir desta quarta-feira, todas as unidades do complexo de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, estão sob a responsabilidade da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária.

No último prédio que faltava ser integrado à administração da secretaria, funciona a casa de custódia chamada provisoriamente de “Bangu C”. Nela estão detidas, desde o início de novembro do ano passado, presas da carceragem feminina da Polinter, que foi destruída após uma rebelião.

Para cuidar das presas dessa unidade, ocupada atualmente por 566 mulheres, o secretário Astério Pereira dos Santos decidiu remanejar todo o corpo funcional do Instituto Penal Romeiro, localizado em Niterói, cujo prédio será totalmente reformado. As internas do instituto foram transferidas para uma ala do presídio Nelson Hungria – que desde 31 de maio funciona em Bangu – destinada aos regimes semi-aberto e aberto.

O próximo passo, segundo o secretário, será transferir as presas que já estejam condenadas e com as respectivas cartas de sentença para o presídio Nelson Hungria.

Enquanto isto, Santos estuda a melhor forma de assumir também a casa de custódia Daltro Crespo, em Campos, na região norte do Estado, e a de Japeri, na Baixada Fluminense, cujas obras serão entregues ainda neste mês.

– Até agora, conseguimos assumir quatro casas de custódia utilizando nosso próprio pessoal, por meio de remanejamentos internos, sem exigir novos gastos para o Estado. Da mesma forma, tentaremos trazer essas outras duas. No momento, ainda não temos funcionários suficientes para absorvê-las, mas estamos buscando viabilizar da melhor forma a transferência – afirmou.