Ações da Vale disparam com a compra da Inco

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 24 de outubro de 2006 as 18:49, por: cdb

A Companhia Vale do Rio Doce adquiri, nesta terça-feira, 75,66% do capital da mineradora canadense Inco e com isso as ações da companhia, que fazem parte inclusive do patrimônio do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de vários trabalhadores brasileiros, dispararam, nesta terça, e fecharam com as maiores altas do Ibovespa (principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo).

A ação ordinária da Vale avançou 4,63%, para R$ 54,40, enquanto o Ibovespa subiu apenas 0,69%. A preferencial teve alta de 3,34% e fechou a R$ 45,99. Na Bolsa de Nova York, o ADR (American Depositary Receipts, recibos de empresas estrangeiras negociados nos EUA) da empresa disparou 4,49%, para US$ 25,37.

Rumores de que a Vale poderia unificar as suas ações preferenciais e ordinárias também impulsionam as ações da companhia, principalmente as ONs. Isso porque a operação facilitaria a transação dos papéis da empresa entre os mercados brasileiro e dos Estados Unidos, onde são negociadas apenas ações ordinárias.

Nas mesas de operações, comentam-se ainda que a Vale poderia fazer uma emissão e oferta de ações após a unificação dos papéis para diminuir sua alavancagem com a compra da canadense.

Em abril deste ano, circularam no mercado rumores de que a Vale estaria estudando a pulverização de suas ações. A empresa negou.