Ação israelense deixou mais de mil palestinos desabrigados

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 13 de outubro de 2003 as 17:15, por: cdb

Uma operação militar de três dias promovida pelo Exército de Israel em um campo de refugiados na Faixa de Gaza deixou 1.240 palestinos desabrigados, na maior demolição de casas em mais de três anos de conflito, denunciaram funcionários da ONU. Os militares israelenses deixaram o campo de refugiados de Rafah, situado na fronteira entre Gaza e Egito, depois de uma operação que tinha como objetivo expresso detectar e destruir túneis utilizados para o tráfico de armas. Três passagens subterrâneas foram descobertas fechadas.

Esta foi a maior operação militar executada por Israel em Gaza nos últimos seis meses, e ocorreu acompanhada de intensos choques entre soldados israelenses e pistoleiros palestinos. Oito palestinos, inclusive duas crianças, morreram, e dezenas ficaram feridos. A UNRWA – braço humanitário da ONU nos territórios palestinos – informou inicialmente que cerca de 1.500 palestinos ficaram desabrigados com a ação israelense. Depois de uma recontagem, a agência constatou que 1.240 palestinos perderam suas casas.

“Houve danos muito, muito graves ao campo de refugiados”, denunciou Peter Hansen, comissário-geral da UNRWA, depois de inspecionar os danos no domingo. “Muitos casas, talvez umas 120, foram totalmente destruídas.” Segundo a UNRWA, 114 abrigos de refugiados foram demolidos na ação israelense. Outras 117 edificações sofreram danos