Abel Pereira diz que vai ‘desmontar farsa’ do dossiê Vedoin

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de outubro de 2006 as 21:23, por: cdb

O empresário Abel Pereira, de Piracicaba, acusado de ser o intermediário do esquema das sanguessugas, disse nesta quinta-feira última que espera “desmontar a farsa” do dossiê dos Vedoin durante o depoimento que dará na segunda-feira à Polícia Federal.

– Vou falar na hora certa para desmontar essa farsa -, afirmou.

Abel será ouvido em Cuiabá, no inquérito que investiga o dossiê com supostas denúncias contra José Serra, do PSDB, pelo qual petistas iam pagar R$1,75 milhão, valor dividido em dólares e reais. Ele foi acusado pelo empresário Romildo Medeiros, que depôs quarta-feira na Justiça Federal, de receber o equivalente a 6,5% do valor de cada uma das ambulâncias vendidas às prefeituras entre 2001 e 2002.

Na época, o atual prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB), exerceu o cargo de secretário-executivo do Ministério da Saúde e, em seguida, assumiu o cargo de ministro, sucedendo a Serra, que concorria à Presidência da República. Pereira voltou a negar a participação no esquema e garantiu que os depósitos que teriam sido feitos em sua conta são “uma invenção”.

Ele disse que está tranqüilo e preparado para dar seu depoimento, mas não quis adiantar detalhes. Ele foi orientado pelos advogados a não falar com a imprensa antes de ser ouvido pela PF por uma questão estratégica.

– Estão usando o que eu falo para inventar novas acusações -, disse, referindo-se aos autores das denúncias contra ele. Abel prometeu dar entrevistas depois do depoimento.

– Vou responder a todas as perguntas que vocês (jornalistas) me fizerem -, disse.

O advogado Sérgio Pannunzio, um dos defensores de Pereira, disse que o empresário jamais intermediou qualquer negociação envolvendo ambulâncias e nem recebeu dinheiro. Pannunzio está convencido de que Abel foi envolvido no dossiê porque tem relação de amizade com Negri, já que ambos cresceram em Piracicaba.

– Pegaram aquela licitação do hospital em Jaciara para estabelecer uma falsa ligação com o esquema -, falou o advogado.

A empresa de Abel Pereira venceu licitação no valor de R$ 550 mil para ampliar um hospital em Jaciara, próximo de Cuiabá, no final da gestão de Negri. O dinheiro foi repassado pelo Ministério à prefeitura da cidade.

O empresário é dono de uma fazenda em Jaciara desde 1999 e chegou a ser sócio de Darci Vedoin num projeto de gado leiteiro, em 2001, mas alega que a parceria não foi para frente. O advogado estranhou que o dono da Planan não tenha sido ouvido, até agora, no inquérito. Ele negou que seu cliente tivesse tentado comprar o dossiê por R$ 10 milhões, conforme consta do inquérito.

Segundo Pannunzio, o empresário esteve em Cuiabá no mês de setembro para tratar de negócios da fazenda, como faz todos os meses.