A uma semana da Super Terça, Romney vence prévias no Arizona e em Michigan

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012 as 06:55, por: cdb

Da BBC Brasil

Brasília – O líder na corrida pela indicação republicana para as eleições presidenciais deste ano, Mitt Romney, assegurou duas importantes vitórias ontem (28). Ele venceu no Arizona, com uma margem maior que a esperada, e em seu estado natal, Michigan, onde estava praticamente empatado com seu principal rival, o pré-candidato Rick Santorum.

“Não ganhamos por uma grande margem, mas conseguimos o suficiente e é isso o que conta”, disse Romney. No Arizona, Romney lidera com 47% dos votos contra 27% de Santorum, e em Michigan, com a apuração praticamente concluída, ele conseguiu 41% contra 38% do rival.

Analistas dizem que os resultados impulsionam a campanha de Romney uma semana antes da chamada Super Terça, quando mais dez estados fizeram primárias. Os dois outros pré-candidatos na disputa republicana, Ron Paul e Newt Gingrich, nem fizeram campanha nas últimas prévias, concentrando esforços na disputa da semana que vem.

Após se declarar vitorioso nas primárias de terça, Romney disse que insistiria na mesma mensagem nas próximas semanas. “Precisamos de mais empregos, menos dívidas, e um governo menor”, disse. “Temos de ouvir isso todos os dias”, completou. Ele também criticou a política econômica do presidente Barack Obama.

Já Santorum disse a seus partidários que foi para “o quintal do oponente” e conseguiu um resultado melhor que o esperado.

Enquanto a campanha no Arizona não recebeu muito investimento dos pré-candidatos, a de Michigan foi mais disputada. Lá, Romney e um comitê independente que o apoia gastaram quase US$ 4 milhões (R$ 6,8 milhões) em publicidade.

Ontem, Romney pareceu admitir que teve dificuldades em conquistar os votos dos conservadores em um estado onde esperava obter bons resultados, já que além de ser seu estado natal, o pai do pré-candidato foi governador de Michigan.

Ele disse que sua falta de conexão com a ala direita do partido vem de sua relutância em fazer comentários “incendiários”.

No fim, pesquisas de boca-de-urna revelaram que cerca de metade dos eleitores apoia “fortemente” o candidato que recebeu seu voto.