500 homens e 280 máquinas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 07:24, por: cdb

Ter, 28 de Fevereiro de 2012 09:15Megaoperação para limpar e reconstruir áreas afetadas pela alagação em Rio Branco
Edmilson FerreiraFoto: Marcos Vicentti

 

O prefeito Raimundo Angelim, anunciou nesta segunda-feira, 27, uma ´operação de guerra´ que envolverá imediatamente 500 homens e 280 máquinas e equipamentos na limpeza das áreas afetadas pela enchente do rio Acre em Rio Branco.  Inicialmente, conforme propõe a Defesa Civil, o trabalho será realizado em alguns bairros que sofreram refluxo dos igarapés, como os  da Baixada da Sobral.
As ações serão coordenadas pela Prefeitura de Rio Branco e pelo Comitê do Programa Ruas do Povo em parceria com várias instituições. “Depois da limpeza começa um outro trabalho, que é a recuperação das vias”, observou o coordenador do Comitê Ruas do Povo  e presidente do Deracre, Marcus Alexandre.
O volume de água no rio Acre diminuiu nas últimas horas mas a Defesa Civil pede cautela: no histórico da cheia de 1997 –já superada pela de 2012 –ocorreram outros picos de alagação quando se avaliava que as águas fossem vazar.  E se baixar de forma brusca podem ocorrer desmoronamentos, conforme aconteceu em Brasiléia e Assis Brasil.
A megaoperação foi planejada por membros do Governo do Estado e da Prefeitura de Rio Branco com participação de oficiais do Exército Brasileiro. “Vamos participar com homens e máquinas, e temos como deslocar meio através do 5º BEC, de Porto Velho”, disse o coronel Santos, comandante do 7º Batalhão de Engenharia e Construção.
A princípio, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Seduop) sabe que o trabalho de recuperação será feito em vários espaços públicos, como unidades de saúde, escolas e sedes de organismos localizados nos bairros alagados. Além disso, a Seduop deverá conduzir o trabalho de recuperação de pontes, calçadas e demais espaços afetados.
Contas bancárias para ajudar alagados serão administradas por bancos e igrejas

 

O governador Tião Viana, o prefeito de Rio Branco,  Raimundo Angelim, os superintendentes do Banco do Brasil, Marcos Bachego, e Aurélio Cruz, da Caixa Econômica Federal , anunciaram nesta segunda-feira, 27, que os recursos depositados nas contas abertas pelos dois bancos para receber doação  para as famílias atingidas pela cheia dos rios no Acre serão administrados  em conjunto com  igrejas. A conta do BB será gerida pelo próprio banco e pela Diocese de Rio Branco e a da CEF será administrada pelas igreja Renovada e Assembleia de Deus.
A medida foi tomada para facilitar o acesso dos beneficiários aos recursos. A conta no BB já arrecadou R$18 mil, segundo Bachego, desde que foi aberta na  quarta-feira da semana passada. “Essa atitude é louvável. Temos de ter absoluto zelo no trato dos donativos”, disse o prefeito.