28/03/2012 – Prefeito mostra aos vereadores limites para reajuste dos salários dos servidores

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de março de 2012 as 14:34, por: cdb

O prefeito Anderson Adauto reuniu-se na tarde desta quarta-feira (dia 28) com grupo de 12 vereadores, que encaminhou pedido de reajuste salarial dos sindicatos dos servidores da Prefeitura, Codau e Educadores. Ao final do encontro, o chefe do Executivo ficou de analisar com a equipe econômico a proposta de reajuste em uma só vez e aumento do tíquete alimentação.
Depois de ouvir os vereadores, Anderson disse estar com a consciência tranqüila de que usou de todas as margens financeiras para atender os servidores. Disse que até gostaria de atender as reivindicações dos sindicatos neste ano eleitoral, mas como prefeito é responsável pela cidade como um todo. Segundo ele, vários obras licitadas foram suspensas, em função da necessidade de reservar recursos para pagamento de pessoal.
Ele mostrou que a PMU vai gastar o equivalente a mais uma folha e meia neste ano, juntando as despesas com a implantação do Plano de Saúde, Plano de Carreira do Magistério, Plano de Carreira dos Servidores da PMU, produtividade dos motoristas e reposição salarial. A soma destes recursos chega a quase 20 milhões. Se esses valores fossem transformados em percentual de reajuste direto na folha de cada servidor alcançaria 16,63%, explica a assessora de RH, Sandra Barra.
Anderson salientou que seu governo conseguiu estancar as perdas salariais acumuladas pelos servidores em administrações anteriores. E além da reposição inflacionaria, conseguiu um ganho real de 9,77% ao longo dos últimos anos. AA lembrou que na gestão do prefeito Luiz Guarita os servidores passaram a trabalhar seis horas em função da PMU não ter condições de repassar a inflação e no governo de Marcos Montes as perdas acumuladas chegaram a 39%.
“Conseguimos estancar e inverter o processo de perda verificada nos últimos 20 anos, com ganho real de 9,77%. Concedemos o Plano de Saúde, que corresponde a mais 3,8% de reajuste, e o Plano de Carreira do Magistério em mais 6,47%, o que corresponde a mais 16,63% de reposição, além dos 6% parcelados”, ponderou.
Anderson ficou de encaminhar até essa quinta-feira (dia 29), antes da assembléia dos sindicatos, uma contraposta ao pedido dos vereadores de pagamento do percentual de 6% de reajuste numa única vez, a partir de março, e de acréscimo de R$ 120 no valor do tíquete alimentação. A proposta do Executivo era de até 6% divididos em três vezes, com a possibilidade dos sindicatos decidir como utilizar o valor correspondente ao percentual, de R$ 4 milhões, em forma abono ou acréscimo no tíquete.