250 sem-terra ameaçam ocupar Tribunal de Justiça de Alagoas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de outubro de 2003 as 20:44, por: cdb

Cerca de 250 trabalhadores rurais sem-terra, ligados ao Movimento Terra, Trabalho e Liberdade (MTL) estão acampados na Praça Deodoro, em frente ao prédio do Tribunal de Justiça de Alagoas, no Centro de Maceió.

Eles exigem a revogação da prisão do líder do MTL em Alagoas, Valdemir Agustinho, que teve sua prisão preventiva decretada há 15 meses pelo juiz Alberto Ramos. Aslideranças alertam que se a reivindicação não for atendida, os sem-terra podem invadir o prédio.

Com faixas em que exigem inspeção da Organização das Nações Unidas (ONU) no Judiciário e terras para os trabalhadores que lutam pela reforma agrária, os integrantes do MTL garantem que o acampamento é por tempo indeterminado. “Só deixaremos a praça com a liberdade de Valdemir”, afirmou José Paulo da Silva, da coordenação estadual do MTL em Alagoas.

Segundo ele, a prisão de Valdemir foi decretada com base num inquérito policial fraudulento, comandado pelo delegado regional de Novo Lino (AL), Osvanilton Adelino, que foi indiciado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico.

– Valdemir foi indiciado por formação de quadrilha, quando no inquérito policial só aparece o nome dele. Onde estão então os demais integrantes da quadrilha? – questionou José Paulo.

Ele afirma que até as duas testemunhas que o delegado Osvanilton arranjou para depor contra o Valdemir são policiais e seus subalternos. O movimento recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).