“Hip Hop Paz e Ação” agita tarde de domingo em Santo André

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de março de 2012 as 07:01, por: cdb

27/03/2012 – 09:55 Secretaria de Governo Cerca de 4 mil pessoas vieram prestigiar a comemoração pelo Dia Mundial da Juventude

O grafiteiro Bunito desenvolve o painel com o rosto e a mensagem de Martin Luther King
Fotos: Elson Rocha/PSA

A Prefeitura de Santo André, por meio da Secretaria de Governo em parceria com o Movimento Hip Hop, celebrou no último domingo (25) o Dia Mundial da Juventude, com a tarde musical “Hip Hop Paz e Ação”, no Parque da Juventude Ana Brandão, reunindo 4 mil pessoas, entre jovens e famílias, que vieram prestigiar os mais de 60 artistas que se apresentaram no evento. 

A mensagem principal que as bandas quiseram passar é que o conceito de hip hop voltado à violência está ultrapassado. “O objetivo dessa ação é romper preconceitos. Hip hop não pode ser confundido como sinônimo de violência”, explica Maryluci de Araújo Faria, diretora do Departamento de Humanidades da Secretaria de Governo de Santo André.  

“Com o evento quisemos mostrar que o hip hop é para todos e que a paz pode ser praticada em qualquer ritmo ou ideologia. Basta levarmos a paz a todos e termos a consciência de que devemos construir um mundo melhor”, completa Jonas Diniz de Souza, assessor de Políticas para Publicas para Juventude do Departamento de Humanidades. 

O grupo A Fusão abriu a tarde de música
Fotos: Elson Rocha/PSA

O grupo Ordem Própria, que encabeça o Movimento Hip Hop, foi um dos destaques da programação. “A idéia do evento é trazer a consciência da importância da educação e da família. A paz não pode ser só escrita. Tem que ser ação, como esta que realizamos hoje”, disse Daniel, integrante do Ordem Própria, durante o “Hip Hop Paz e Ação”.  

O rapper Moyses A286, membro da Facção Central, grande atração do dia, falou sobre a preocupação em passar mensagens despertando o senso crítico. “É importante que o jovem entenda qual é o seu papel na sociedade. Espero que o ser humano possa encontrar em meio ao caos social a única paz verdadeira, a paz em Deus”, diz Moyses, que é cadeirante.

A ação reuniu ainda os convidados A Fusão, Matéria da Rua, Vigilantes MC’s e MC Cauan, Conexão Leste ABC, o rapper W.G.I., do grupo Consciência Humana, e Yzalú, cantora que, em uma mistura de ritmos, toca rap melódico com auxílio de seu violão. “Cresci ouvindo rap e MPB. Decidi juntar as letras do primeiro ritmo com a melodia do segundo”, conta Yzalú.

O MC Cauan, maior representante da juventude no evento com seus oito anos de idade, é considerado o rapper mais jovem do Brasil. “Meu pai colocava músicas para tocar bem perto da barriga da minha mãe, quando ela estava grávida”, diz o jovem MC, cujas músicas preferidas são sobre a escola e sobre animar a festa. Segundo Júnior, pai de Cauan e membro do Vigilantes MC’s, o filho começou aos três anos por iniciativa própria. “Ele assistia aos ensaios e, nos intervalos, pegava o microfone. Daí surgiu a preocupação em fazer músicas com conteúdo para a idade dele, sobre escola, videogames e até sobre o bicho de pelúcia. Antes, show de rap não tinha criançada. A molecada vem ao show por causa do Cauan”, conta.

Além das bandas, o grupo de grafiteiros formado por Bunito, Anão, Gob, e Gilberto preparou painéis com a temática “Paz e Ação” para o evento. Bunito, aprendiz de um dos pioneiros do grafite no ABC, Puma, trouxe à tela Martin Luther King Jr., símbolo de paz, perseverança e força. “Trazemos esta mensagem para que a juventude possa viver a vida com o que tem de melhor, longe das drogas e da violência, para que as próximas gerações sejam sadias”, explica o grafiteiro.

O professor Osmar Junqueira Lima, coordenador de Programas Educacionais da Secretaria de Educação,deixou também uma mensagem para os jovens. “O melhor tempo é a juventude. Construímos o futuro com os jovens, porque os profissionais de hoje foram formados nessa fase. Precisamos ensiná-los a viver, a conviver e a confraternizar, como em um evento como este”, disse o professor.

Com mensagens nas músicas e nos painéis, a juventude apoiou a campanha Santo André pela Paz, com a distribuição de mais de 500 botons e adesivos.

MC Cauan, o mais jovem rapper do Brasil, trouxe as crianças para o show
Fotos: Elson Rocha/PSA

 

 SECOM PSA
Assessoria de Imprensa
Janaína Harada / Eugenio Goussinsky
jhduarte@santoandre.sp.gov.br
26/03/2012